Hospital Real de Todos os Santos (Royal All Saints’ Hospital)

 

Mestre P.M.P. (attributed)

Portugal

18th century (1st quarter)

Faience

Dimensions: 1140 x 3430 x 40 mm

Origin: Estrada de Benfica, 385

MC.AZU.74

Palácio Pimenta

Painel figurativo datado da 1ª metade do século XVIII, proveniente de oficina de Lisboa, representando a fachada do Hospital Real de Todos-os-Santos, voltado ao Rossio. Num primeiro plano são representados alguns tipos populares, comercializando bens de consumo. Ao lado esquerdo é representado o Chafariz de Neptuno, que emparelhava com o existente no Terreiro do Paço, dedicado a Apolo. Toda a cena encontra-se emoldurada por sanefa e sebastos que simulam as ramagens dos brocados com respetivas franjas e borlas.

Este painel constitui o elemento iconográfico mais completo para o estudo deste monumento, um dos mais emblemáticos da Lisboa quinhentista. Mandado erigir em 1492 por D. João II, foi terminado nos primeiros anos da centúria seguinte, já sob o reinado de D. Manuel. 

Edifício de vanguarda no seu tempo, foi construído segundo os modelos mais evoluídos da época, desenvolvendo-se a partir de uma planta em forma de cruz grega, com o altar da igreja localizado no eixo de confluência. Com a fachada principal virada ao Rossio, onde se destaca o pórtico da Igreja, profusamente decorado, marcou durante mais de dois séculos a fisionomia desta praça.

Segundo documentação da época, datam de 1502 os primeiros internamentos e em 1504 estavam já em funcionamento três enfermarias, uma casa das boubas para tratamento da sífilis, uma dos enjeitados e um albergue. Em 1620 possuía já 16 enfermarias e em 1715 o número tinha aumentado para 21. 

Na sequência do Terramoto de 1755, o Hospital Real de Todos-os-Santos foi desativado.