Lisbon viewed from the Palace of the Marquis of Abrantes

 

Author unknown

1st half 18th century

Oil on canvas

MC.PIN.264

Palácio Pimenta

Panorâmica da Lisboa ribeirinha antes do Terramoto de 1755, a partir dos jardins do palácio dos Marquês de Abrantes (onde hoje se encontra a embaixada de França). 

Em primeiro plano, do miradouro do palácio, destaca-se toda a frente ribeirinha correspondente ao Conde-Barão - os palácios do Conde-Barão de Alvito e de Almada-Carvalhais; as ruas da Boavista e de S. Paulo,  abrindo sobre a praia onde se observam os estaleiros navais, o edifício da Junta do Comércio Geral (?) e a primitiva Igreja de S. Paulo com a fachada virada à foz. Para lá dela, vislumbram-se os telhados piramidais do Palácio dos Corte-Real e a cúpula do torreão do Paço Real da Ribeira.

No topo do Alto de Santa Catarina, a desaparecida igreja da mesma denominação, demolida em 1833, logo seguida do casario do bairro da Bica. No lado oposto observa-se a Ermida das Chagas. Sobressai igualmente o grande edifício que foi o Palácio dos Duques de Valença.

O hoje conhecido como palácio do Marquês de Abrantes remonta ao séc. XV quando Fernão Lourenço (feitor da Índia e da Mina), na propriedade aforada às Comendadeiras de Santos, ergue uma imponente residência a partir do edifício conventual que aí deixaram devoluto quando se instalaram na zona ocidental da cidade, junto à Madre de Deus. Em 1501 o rei D. Manuel I elevou esta casa a Paço Real e, em 1629, D. Francisco Luís de Lencastre adquiriu o palácio e terrenos anexos que permaneceram na posse da família Lencastre até à sua compra pelo governo francês, em 1911, passando a Embaixada de França em 1948.