Plan of the site of the Aqueduct at Amoreiras

 

Carlos Mardel, João Inácio Dantas Pereira, Caetano de Sousa Andrade, Cláudio Gorgel do Amaral

c. 1735

China ink and watercolour on paper

Dimensions: 425 X 400 mm

MC.DES. 475

Palácio Pimenta

Planta centrada no sítio das Amoreiras, é o primeiro projeto para a implantação da Mãe de Água das Amoreiras, mostrando a Fabrica das Sedas, então em construção, e o urbanismo e edificações do Largo do Rato e arruamentos confluentes

Ao longo do reinado de D. João V foram realizadas várias reformas pontuais na capital, decorrentes da necessidade de novas redes viárias e de melhoramentos ao nível de algumas infra-estruturas. Entre as diversas intervenções com alcance urbanístico, destaca-se a obra do aqueduto das Águas Livres e todo o programa de abastecimento de água à cidade. 

Deste projeto, ao qual estiveram ligados nomes como Manuel da Maia, Custódio Vieira e Carlos Mardel, chegaram até à atualidade alguns levantamentos topográficos com o traçado daquela estrutura monumental, bem como vários trechos de Lisboa, mostrando a implantação dos chafarizes ou da Mãe de Água das Amoreiras. Estas propostas integravam, no seu conjunto, o plano de valorização da “Lisboa Ocidental”.