Urn (fragment)

 

7th century BC

Pottery, painted exterior

Dimensions: Ø: 120; A 53 X Width 75 mm

Origin : Roman Theatre, Lisbon. From 2005 archaeological dig (patio area)

TRL/05/4693

Teatro Romano

Fragmento de bocal de urna tipo “Cruz del Negro”. Apresenta um bordo extrovertido de perfil almendrado com lábio espessado. O colo é cilíndrico, com o típico ressalto ou moldura de onde arrancava a asa. A superfície externa apresenta um acabamento cuidado, conservando pintura vermelha sobre o bordo e bandas paralelas vermelhas e negras no colo.

As características formais desta urna, principalmente o colo cilíndrico e a sua pintura, aproximam-se dos exemplares do nível IVb de Toscanos, datados através da cerâmica grega do século VII a.C.

Ainda que estas urnas estejam normalmente conotadas com o mundo funerário, a sua presença em áreas de habitat tem vindo a revelar-se comum. No território português além de estarem bem documentadas na necrópole de Alcácer do Sal, foram recolhidas em contexto habitacional no povoado de Santa Olaia (foz do Mondego), na alcáçova de Santarém e no vale do Sado (Abul). Esta evidência leva a supor uma utilização destes recipientes globulares de pequena e média dimensão, como contentores de armazenamento de líquidos.

O centro produtor destas peças, estaria possivelmente localizado nas áreas meridionais da Baía de Cádis ou na região de Málaga.

A presença desta peça em claro contexto de deposição secundária, identificada no Teatro Romano no decurso da campanha arqueológica de 2005, testemunha as primeiras fases de ocupação do morro do Castelo. As crescentes evidências, proporcionadas pelas diversas intervenções arqueológicas nos últimos anos, permitem vislumbrar os momentos anteriores à implantação do urbanismo da cidade romana de Olisipo, desde o início do primeiro milénio a.C.