Corpus Christi. A Procissão do Corpo de Deus por Diamantino Tojal - ENCERRADA TEMPORARIAMENTE
05 Mar 2020 a 30 Set 2020
Exposição temporária

Para ver Lisboa de uma vez fui ver a procissão do Corpo de Deus
José da Cunha Brochado, 1709

Entre 1944 e 1948, o empresário Diamantino Tojal concebeu 1587 miniaturas, em barro não cozido, que retratam a procissão do Corpo de Deus como seria no século XVIII. 


As  festividades  para  assinalar  a  Sagrada Eucaristia  (ou  Corpo  de  Deus)  tiveram origem  na  Bélgica,  no  século  XIII,  por  iniciativa  de  Santa  Juliana  de  Cornillon  (n.  1191).
Autorizadas, pela primeira vez, na diocese de Liège  em  1246,  comemorações  semelhantes surgiram  rapidamente  um  pouco  por  toda  a Europa e, pela bula Transiturus de hoc mundo, de  11  de  agosto  de  1264,  o  Papa  Urbano  IV (c.  1195-1264)  inscreveu-as  no  calendário litúrgico  cristão,  na  quinta-feira  seguinte  ao primeiro domingo depois do Pentecostes. Em 1316, durante o episcopado do Papa João XXII (1316-1334), com a inscrição das festividades na  lei  canónica  perante  a  adesão  crescente dos fiéis, decidiu-se adicionar uma procissão à liturgia, com a função de transportar a hóstia pelas ruas das dioceses ou paróquias.

 

folheto PDF

 

ENCERRADA TEMPORARIAMENTE

5 MAR — 30 SET 2020 · Convento da Graça, Largo da Graça · TER — DOM 10H – 17H · Encerra à segunda-feira 

ORGANIZAÇÃO Câmara Municipal de Lisboa | Direção do Ambiente, Estrutura Verde e Energia · EGEAC | Museu de Lisboa · Igreja da Graça — Paróquia de Santo André e Santa Marinha

VISITAS ORIENTADAS Todos os segundos sábados de  cada  mês  ·  15H30  ·  Para  grupos,  por  marcação:  servicoeducativo@museudelisboa.pt   - VISITAS SUSPENSAS TEMPORARIAMENTE

AGRADECIMENTOS  Cónego Manuel Lourenço, Nazaré Tojal, Miguel Ângelo Silva, bem como todos os familiares do autor e amigos que colaboraram na organização desta exposição