Devoções Populares. Registos em azulejo
08 Jun 2013 a 01 Set 2013
Exposição temporária

Com esta exposição pretendeu-se dar a conhecer a importância que os registos em azulejo detêm no como da história das mentalidades, particularmente na definição e expansão de cultos de caráter popular, com incidência na cidade de Lisboa.

Ostentando inúmeras e variadas expressões artísticas, identificadoras das épocas em que foram feitos e tão características da singular produção azulejar, os painéis têm em comum, a representação de figuras sacras (ou, nalguns casos mais recentes, profanas) que se relacionam com sentimentos de proteção.

A mostra reuniu cerca de quatro dezenas de painéis de azulejo, quase na sua totalidade de Lisboa, com cronologias que vão do século XVII à atualidade e que, ao longo dos anos, por motivos diversos foram retirados dos locais de origem.

Exemplares oriundos de coleções particulares (tais como, The Berardo Collection, Coleção de Feliciano David e Graciete Rodrigues), do Museu Nacional do Azulejo, sendo o maior conjunto de peças em exposição pertencentes ao espólio ao espólio do Museu da Cidade, muitas das quais nunca antes mostradas.

Através estes exemplares complementados com acervo fotográfico, diversos objectos (pintura, gravura e escultura) e vídeo (Testemunhos devocionais hoje, registos em azulejo nos cemitérios, novos cultos - Padre Cruz e Sousa Martins), relacionados com o tema, penetramos no universo das várias expressões da religiosidade e das motivações devocionais manifestadas ao longo dos tempos. 

A exposição organizada pelo Museu da Cidade (CML, Pelouro da Cultura, Direção Municipal de Cultura), com patrocínio da Fundação Berardo, teve como comissários Ana Cristina Leite, Fernando M. Peixoto Lopes e Margarida Almeida Bastos.