Jornadas Europeias do Património no Museu de Lisboa
25 Set 2020 a 28 Set 2020

Em 2020, as Jornadas Europeias do Património, que se assinalam nos dias 25, 26 e 27 de setembro, são dedicadas ao tema «Património e Educação», recordando e sublinhando a importância do património cultural para o desenvolvimento do conhecimento e da sociedade enquanto instrumento de aprendizagem e fonte de inspiração para o futuro.

O mote destas Jornadas é a redescoberta das tradições e práticas sociais e culturais características das vivências dos lisboetas durante séculos, recuperando-se assim saberes populares e eruditos, por vezes esquecidos, para a construção de novas pedagogias no presente e no futuro.

Assinalamos estes dias com percursos entre os núcleos do Museu, no centro histórico da cidade, muita diversão com os jogos tradicionais e um dia inteiro dedicado a descobertas científicas nos jardins do Palácio Pimenta com a realização de um BioBlitz.

Atividades gratuitas

BioBlitz
Jardins do Palácio Pimenta
26 SET - 10H – 23H
Os jardins do Palácio Pimenta vão ser transformados num grande campo de estudo durante um dia. Pela primeira vez, vamos medir, em conjunto, a biodiversidade aqui existente da forma mais simples: contando e identificando as espécies animais e vegetais presentes, acompanhados por cientistas.
Para além de ter um propósito científico útil, o BioBlitz é também um momento lúdico e de aprendizagem para os participantes que assim têm oportunidade de conviver e trabalhar ao lado de verdadeiros cientistas e especialistas na biodiversidade nacional e aprender a identificar algumas espécies.
Durante a atividade, os participantes fotografam as suas «descobertas» com os seus smartphones. Depois, recorrendo aos especialistas e à app da BioDiversity4All, faz-se o reconhecimento das imagens capturadas.
Os participantes ficam assim capacitados e incentivados a contribuírem para o registo da biodiversidade nacional, mesmo depois da atividade.
Paralelamente ao trabalho de campo, no site www.biodiversity4all.org, serão divulgadas as informações e estatísticas do trabalho realizado (número e listagem de observações, número de espécies registadas por grupos de espécies, listagem dos principais contribuidores de registos e dos validadores de observações).
Quem quiser participar, só precisa de trazer o seu smartphone. O Museu de Lisboa oferece um caderno e um lápis a cada participante, bem como um saco em tecido. Para guardarem todas as descobertas.

10H00 – 10H30 – Apresentação da atividade
10H30 – 12H30 – Plantas, Sergio Chozas, SPB
12H30 – 14H30 – Insetos - Tagis
14H30 – 16H30 – Líquenes e briófitos, Palmira Carvalho e César Garcia - MUNHNAC/ULisboa/cE3c
16H30 – 18H30 – Ave, Luís Gordinho
18H30 – 19H30 – Mamíferos, Paula Gonçalves - cE3c
19H30 – 20H30 – Morcegos, Ana Rainho - cE3c
20H30 – 22H00 – Borboletas noturnas - Tagis
22H00 – 22H30 – Apresentação de resultados

Atividade organizada em parceria com a BioDiversity4All
> 8 anos
Reserva obrigatória em cada um dos grupos de espécies nos quais se pretende participar: servicoeducativo@museudelisboa.pt

 

Percursos
25 SET - 17H
Torreão Poente
Destino Lisboa – Os lugares invisíveis da escravatura
Quando, a partir de 1512, o rei D. Manuel I decidiu que Lisboa passaria a deter o monopólio do tráfico de escravos de todo o império, a cidade tornou-se num dos maiores entrepostos mundiais de comércio negreiro até 1761, ano em que este foi proibido.
Este percurso pretende tornar visíveis alguns dos lugares que marcaram a vida quotidiana da imensa população escravizada que povoou Lisboa ao longo de séculos.
> 12 anos

26 SET - 15H30 (ESGOTADO)
Santo António
Fadistas, marinheiros, bandidos e devotos 
Este percurso, que liga o Museu do Fado e o Museu de Lisboa - Santo António, leva-nos a descobrir a música, o santo de Lisboa e a sua influência nas gentes de Alfama, sem esquecer a vida neste bairro de marinheiros e fadistas.
> 12 anos
Organizado em parceria com o Museu do Fado

26 e 27 SET - 11H30
Teatro Romano
De Olisipo a Lixbõa. Do Teatro Romano à Muralha de D. Dinis
Os lisboetas romanos caminhavam entre tanques de salga de peixe, armazéns e cais de madeira. Testemunharam, ainda, a construção de uma muralha sem precedentes na cidade que, séculos mais tarde, seria percorrida por mouros, judeus e cristãos, numa Lixbõa pontuada por numerosas igrejas e conventos, algumas mesquitas e sinagogas.
Percorrer a cidade atual e descobrir a frente ribeirinha da Lisboa romana e medieval é a proposta deste percurso que liga a Casa dos Bicos, as Galerias Romanas e o Museu do Dinheiro.
> 12 anos
Organizado em parceria com o Museu do Dinheiro

 

Jogos tradicionais

27 SET – Jardins do Palácio Pimenta

10H30
Quem matou o jardineiro? Um cluedo no Museu
O cenário do crime é perfeito: um palácio, um jardim de buxo, um lago, outro jardim… As armas? Com as obras no Palácio, temos muitas potenciais «armas». Os suspeitos? Os do costume: o mordomo ou a criada? Ou o carpinteiro, o mestre azulejador, o maquetista ou talvez o arquiteto? O desafio é descobrir, com as pistas deixadas, quem, como e onde.
Visita-jogo > 6 anos

15H
Caravelas, estrangeiros e muita pimenta. A glória de Lisboa
Como era a cidade quinhentista? E como era a vida dos lisboetas de então? A partir da vista de Lisboa de George Braunio, este jogo da glória permite descobrir as riquezas, os habitantes e os hábitos dos alfacinhas do século XVI. Individualmente ou em equipa, é preciso percorrer as 100 casas do jogo, entre o Castelo e o Rossio, vivendo as festas, os perigos e obstáculos que a cidade quinhentista oferecia.

Visita-jogo > 8 anos

16H
Jogos tradicionais
Propomos uma competição de jogos tradicionais no jardim do Palácio Pimenta.
Vamos descobrir e aprender a jogar à malha, ao burro ou ao chinquilho e a fazer rodar o arco! Mas também a jogar ao berlinde, à carica e ao peão!
Visita-jogo > 4 anos

Reserva obrigatória servicoeducativo@museudelisboa.pt │217513256