Varinas de Lisboa - Memórias da Cidade
31 Jan 2015 a 24 Mai 2015
Exposição temporária

Das comunidades regionais que na capital assentaram nenhuma foi tão marcante como a varina. Proveniente do litoral dos distrito de Aveiro, de Ovar lhe advém o nome.

Em Lisboa, ao longo do século XIX, a comunidade instala-se sobretudo a Madragoa, marcando indelevelmente a memória coletiva, vindo a confundir-se rapidamente, graças sobretudo às mulheres, com a própria urbe.

Na exposição procurou-se, sobretudo, entender a evolução de uma figura popular que, de mulher trabalhadora, mãe de família e de parcos recursos económicos, cuja liberdade na linguagem, costumes e atitudes na rua cedo captaram as atenções de nacionais e estrangeiros, se converte, por mérito próprio, em símbolo da cidade de Lisboa e de como depois o Estado Novo e apropria da sua presença por força da propaganda oficial assumindo, assim, um papel icónico no imaginário local e internacional.

Ao cruzar as várias referências e interpretações do tema, deu-se a conhecer o lado vivencial, quase indomável e de resistência, desta comunidade dominada pelo elemento feminino, a quem esta exposição presta a homenagem.