A antiga Fábrica de Tabacos de Xabregas

J. Pedrozo

1859

Óleo s/ tela

Dimensões: 1270 mm X 835 mm

MC.PIN.316

Palácio Pimenta

A fábrica instalou-se no antigo convento franciscano de Santa Maria de Jesus de Xabregas, fundado em 1460 pela condessa de Atouguia, D. Guiomar de Castro e edificado em terrenos do antigo Paço Real de Enxobregas, cuja arquitetura religiosa marca, ainda hoje, presença. Num plano secundário identifica-se o palácio dos Marqueses de Nisa. 

Em primeiro plano, uma fragata com a bandeira da monarquia portuguesa, sobressaindo entre outras embarcações de pequeno porte. No lado esquerdo, vê-se o comboio a passar sobre a Ponte de Xabregas, cujo primeiro troço do Caminho-de-ferro do Norte foi inaugurado em 1856. Ao longo do século XIX esta zona da cidade, antes campestre e senhorial, passa a assumir uma vocação fabril.

Com a extinção das ordens religiosas em 1834, muitos dos espaços conventuais da cidade são adaptados a novas funcionalidades. É o caso deste convento que, encerrado nessa data, teve posteriormente diversas utilizações. Inicialmente destinado a aquartelamento do Regimento de Artilharia, em 1838 foi arrendado à Fiação de Tecidos de Algodão Lisbonense. Em 1844 um violento incêndio destrói parte do antigo convento salvando-se a igreja. Reconstruido no ano seguinte, foi aí instalada a Fábrica de Tabacos Lisbonense,  mais tarde Companhia Portuguesa de Tabacos, que ocupou o edifício até meados do século XX. Atualmente é ocupado pelo Teatro Ibérico.