Machado de Castro apresentando ao Marquês de Pombal o modelo da Estátua Equestre D. José I

Mauricio José do Carmo Sendim

1820-1850

Litografia

Dimensões: 463 x 397 mm

MC.GRA.1573

Palácio Pimenta

Representação dos planos e maqueta do monumento dedicado a D. José I.

Inaugurada em 27 de maio de 1775, a estátua equestre de D. José I, esculpida por Machado de Castro e fundida por Bartolomeu da Costa, conferiu à Praça do Comércio, onde ocupa lugar central, um novo equilíbrio urbanístico.

Por ocasião das festividades do aniversário de D.José I, em Junho de 1775, sobre o pedestal da autoria de Reinaldo Manuel dos Santos ergueu-se a nova estátua, que veio elevar o estatuto simbólico da ainda inacabada praça do Terreiro do Paço, centro monumental da nova cidade de Lisboa, reconstruída após o Terramoto de 1755, rebatizada Praça do Comércio.  Na parte frontal do monumento, um medalhão com o busto do Marquês de Pombal, sustentando as insígnias reais e as quinas, e a figuração do Senado, representam o poder político. 

Escultura de grande qualidade, deu origem à produção de gravuras que circularam por toda a Europa, incluindo-se ainda a impressão de uma memória descritiva do projecto da autoria do próprio escultor Descripção Analítica da Estátua Equestre erigida em Lisboa à Glória do Senhor Rei Fidelíssimo D.José I, levada à estampa em 1810, da qual o museu possui um exemplar em exposição.