Retrato de D. João V

Autor desconhecido (escola portuguesa?)

Séc. XVIII (1ª metade)

Óleo s/ tela

MC.PIN.235

Palácio Pimenta

A primeira metade do séc. XVIII é marcada pelo reinado de D. João V (1707 – 1750), época em que a exploração das riquezas do Brasil vai permitir a construção de majestosos edifícios barrocos: o Palácio das Necessidades ou a Patriarcal, entre outros. 

De igual modo, seguindo o espírito da época, caracterizado por uma curiosidade latente no que se refere ao desenvolvimento e aplicabilidade de engenhos e mecânica, D. João V favoreceu a modernização e, mesmo, a instalação de uma série de indústrias, como a Real Fábrica das Sedas junto ao Rato que, embora de iniciativa privada, teve proteção régia.

No entanto, estas intervenções urbanísticas promovidas pelo monarca, embora espelhem a intenção de uma reforma de fundo na cidade, restringiram-se a realizações pontuais. É neste contexto que se insere aquela que foi a grande obra do período joanino - a construção do monumental Aqueduto das Águas Livres e respetivos ramais, motor para a expansão urbana da zona do Rato e Amoreiras.