Taça de "Terra sigillata" (fragmento)

Séc. I (15-50 d.C.)

Barro

Dimensões: A 30 X L 35 mm

Proveniência: Teatro Romano de Lisboa. Intervenção arqueológica de 2006 (zona do pátio)

TRL/06/196

Teatro Romano

Fragmento de taça de terra sigillata de produção itálica com marca de oleiro. Esta marca, feita com punção na face exterior do fundo, é do tipo planta pedis (em forma de planta de pé) e está inscrita num círculo duplo onde se pode ler a palavra XANTHI, com as letras A^N^T^H em nexo, o que significa que foi produzida pelo oleiro Xanthus, com oficina em Pisa.

A cronologia respeitante à laboração desta olaria está compreendida entre 5 a.C. e 50 d.C. Este intervalo de tempo pode ser, no entanto, encurtado para 15 d.C. a 50 d.C., atendendo ao facto de que a indicação do nome do oleiro no desenho de uma planta pedis só ter começado a ser utilizado a partir do principado de Tibério.

Este tipo de peças foi produzido em diferentes regiões da Itália, sendo as olarias de Arezzo, Pisa, Pozzuoli, na Itália central, e as localizadas no vale do rio Pó, as mais importantes. Esta produção invadiu os mercados do Império durante um vasto período diacrónico, de 40 a.C. a 50 d.C.

A presença desta marca de oleiro no Teatro romano de Lisboa, a par de dezenas de outras marcas em cerâmica fina aqui encontradas, documenta a complexa rede de relações comerciais que existiam entre a cidade Olisipo e o restante Império romano. Dado o acabamento requintado que possuía, este tipo de cerâmica era extremamente apreciado pelas elites, estando a sua importação amplamente atestada na cidade mais ocidental do Império.