Saltar para o conteúdo

Lacrimosa

de Bárbara Faden e Rita Paisana

  • Inauguração: 08 AGO 2024 18H
  • 09 AGO — 06 OUT 2024 10H-18H

08 ago 2024 — 06 out 202418h – 19h

Entrada livre

Todas as idades | 60 minutos

A ideia para esta peça surgiu enquanto ponto de referência à Rua da Saudade, onde o próprio teatro romano de Lisboa se encontra, e em relação com o fado, emotivo, típico de Alfama e profundamente enraizado no tecido cultural da cidade.

As lágrimas – expressão simbólica das emoções – estão intimamente ligadas ao imaginário do transbordo emocional enquanto experiência humana universal. O desejo, aqui representado simbolicamente na forma de «braços abertos» pelo tecido entrelaçado e suspenso – funde-se com a libertação. As emoções partem do mesmo lugar, simultaneamente vulnerável e forte, aberto e encerrado em si mesmo.

No segundo ato da ópera L’elisir d’amore, em Una furtiva lagrima, é cantado «[Eu queria apenas] por um momento ouvir as palpitações do seu coração, e os meus suspiros se misturando com os seus suspiros!», no momento em que o cair de uma lágrima revela um amor correspondido.

As lágrimas sinalizam o assoberbamento que ultrapassa a linguagem, o modo quase teatral da libertação física possível a que o corpo acede para exprimir o que sente interiormente. Este candelabro de lágrimas é uma homenagem a esse espetáculo de catarse emotiva.

 

IMG_2625.jpg

©️ Direitos reservados