Saltar para o conteúdo

Lisboa no tempo de D. Manuel I

A cidade que ambicionava o mundo

05 nov 2021 — 27 mar 202210h – 18h

3 € (inclui entrada no Museu)

Bilhetes disponíveis em Blueticket.pt

Inauguração: 4 NOV | 18h

Entrada livre, sujeita à lotação do espaço

 

No ano em que se assinalam 500 anos sobre o falecimento de D. Manuel I, o Museu de Lisboa, em parceria com o Gabinete de Estudos Olisiponenses, evoca o impacto que aquele monarca teve na «sua» cidade de Lisboa.

No tempo de D. Manuel I, o reino de Portugal impôs-se como potência global. Consciente da necessidade de dotar o império de um centro decisório forte, organizado e grandioso, o monarca promoveu a radical alteração da capital, dotando-a de novos equipamentos que permitissem a Lisboa gerir eficazmente o império e funcionar como placa giratória, a partir da qual tanto se podia chegar ao Brasil, à China ou às ilhas Molucas.

Por volta de 1500, D. Manuel I decidiu mandar construir um novo palácio na Ribeira, para local de residência, deixando assim de habitar o velho Paço da Alcáçova, situado no castelo de São Jorge. A transferência da morada régia e do aparelho administrativo de Estado para a frente ribeirinha foi apenas uma das muitas dimensões da intervenção de D. Manuel I em Lisboa.

Em 1521, ano da sua morte, a cidade havia mudado muito e, em grande parte, a sua nova fisionomia urbana manteve-se até ao terramoto de 1755. A exposição, que conta com comissariado de José Manuel Garcia (Gabinete de Estudos Olisiponenses), será complementada por um programa de visitas orientadas (pelo comissário e por técnicos do museu) e por um ciclo de conversas com especialistas em vários domínios, cujo calendário será anunciado brevemente.

«Lisbona», gravura aguarelada, impressa sobre papel publicada na obra de Georg Braun «Civitatis Orbis Terrarum» (1572)

«Lisbona», gravura aguarelada, impressa sobre papel publicada na obra de Georg Braun «Civitatis Orbis Terrarum» (1572) © Museu de Lisboa